Archive for November, 2008

Mme Bouvoir

November 25, 2008

simonenua

 

 

Achei  essa  foto  expressiva,  da  liberdade, da clareza, da  firmeza e  fortaleza  dessa  chére Madame ou seulment une  femme…..mais pas  comme  les  autres.

Partida ou Chegada.

November 25, 2008

 

liberte

Simplesmente voltei  a   ser   ana.mmk.

Hoje

November 23, 2008

image001

 

Hoje  estou  contente,

moleca,  rindo  de  bobagem,

fazendo  piruetas  alegres,

ingênua  e  livre.

Sorrindo  francamente,

brincando  por   ai,

pulando  na  chuva

e  vendo  o mundo 

de  cabeça  pra  baixo.

E  isso é  tão  bom.

 

{anammk}_MA

Encantamento SM

November 23, 2008

584onmljs2

Se critica muito submissas que desfiam um conjunto de caracteristicas que um Dominador deve ter e que consideram pré-requisitos para deixarem-se dominar. A fórmula de que “um Dominador para mim tem que ser x, y, z ” soa estranha e inadequada aos mais antigos praticantes. No meu entendimento pode ser uma falta de intimidade com o pensamento SM o que nao implica em falta de desejos SM. Talvez essa lista de ítens nada mais seja do que os elementos que as encantam. Nao falo de situações tipo ( tem que ter carro, ser solteiro, etc ) mas de traços de personaidade e formas de conduta.

O que desencadeia uma relação D\s pelo lado submisso, creio que seja o encantamento , o que nao é o mesmo que envolvimento nem paixão. Mas ver ali o poder personificado atraves de alguns traços que podem ser subjetivos. Como disse uma amiga, tem-se o homem e em alguns momentos o Homem que cresce em poder , que dá lugar ao Dominador e esse, encanta.

O encantamento surge, na minha opinião, quando para além do homem percebemos o Dominador, quando identificamos algo em que ele é melhor, se supera diante de outros e isso nos toca de alguma forma. Pode levar à admiração que tambem é importante critério para o interesse SM, mas o deixar-se encantar pela sua forma de falar, agir e pensar é fundamental. Não sei na verdade definir de modo geral o que encanta, porque é subjetivo, sei o que faz esse efeito em mim.

O “encontro” entre uma sub e um Dom, precisa de substancia e de alma, de encantamento pelo poder que dele emana concretizado , para cada uma de nos, de forma diferente. Sem deixar-se encantar por caracteristicas que o distinguem de outros, nada feito. Dificil processar a transferencia de poder, sentir verdadeiramente sua capacidade em conduzir e dominar. Isso tendo em vista que a dominação é concedida e nao algo intrinseco que se manifesta que pelo puro poder do “outro”.

Um Dominador precisa se destacar diante de uma submissa e vice versa ,claro, havendo afinidades de fantasias e sobretudo Tesao. Mas ha um diferencial que atrai um ao outro e desse lado do chicote, o defino como um encantamento. Do lado Dominante não sei como se opera o encontro, mas do meu ,pelo menos, tenho clareza.

Não ha Dominadores Encantados como Príncipes Encantados, mas ha homens que sabem demonstrar sua natureza de sádicos e/ou dominadores de uma forma que seduz uma submissa ( e vice-versa, sempre na mão dupla ) e talvez o mesmo nao aconteça com outro dominador e outra submissa. Isso não é exigência descabida mas é fundamental sentir o emanar do poder e da “superioridade” do Dom para que a mente sub possa abrir-se e permitir-lhe que adentre para tomar-lhe posse.

Encontros “arranjados”, “convenientes” mesmo para ambos, nem sempre garantem sucesso na relação D\s, porque diferentemente do baunilha onde estas tentativas podem frutificar, no SM ou se domina, ou se deseja o dominio, ou não e quando não acontece, dificilmente algo pode mudar.

A sessão

November 23, 2008

 

103098541_7070562ca4_o1

 

Ele a vendou e ela ouvia uma musica exotica que lhe invadia embaralhando seus pensamentos, envolvendo-a num ritmo frenético e estranho. Sentia uma mistura de perfumes de madeira, de flores e frutas ao ar. Beijos rapidos lhe traziam o gosto fresco de hortelã. Sentia o toque das mãos Dele por seu corpo sem conseguir prever onde o sentiria de novo. Ele provocou seus sentidos, aguçou-os ao limite. Seu corpo nao mais respondia com a razão, mas puro instinto, pura espera do prazer que lhe chegava pela boca, pelos ouvidos, pelo nariz, pelo sexo, por todos seus poros sedentos. Ele lhe falava de Seu mundo onde entrara como uma convidada desconhecida. Simplesmente deixou-se conduzir, que fosse feita a vontade do Anfitrião. Era ali fêmea, docil e submissa, embora seu corpo a traisse inundando-a, fazendo escorrer líquida sua vontade.

Ele desnudou sua alma, mostrou-lhe seus medos e frente a frente com ele, aquele Dominador de desejos, por instantes se desfez no ar. Diante dela, seu medo, diante Dele uma mulher desfeita. Só um Grande Mestre das artes do erotismo extremo pode reconstruir e trazer de volta a fêmea entregue a Suas vontades, num jogo do poder de um só. Naquele mundo Dele, ela conheceu a si própria e a verdadeira face de sua submissão. A   dor   feita  prazer, o  medo   feito   desejo, o   gozo feito   poder   e  a   vontade  feita servidão.  Ele,   com   todos   seus   saberes   das   artes   da  dominação, fez  a  alquimia, transformando  desejos imersos em   explosões   de  prazer. Mostrou   Sua   força,  Sua   sabedoria,  Seu   domínio  sobre  uma   mulher nunca   assim,  dominada. Na   verdade,nenhuma   surpresa,  por  que   era  Ele.

a gaiola dourada

November 23, 2008

 

marienbad-30-16

Ela vivia em sua cage dourée,como ela chamava, sua gaiolinha dourada. Um casa aconchegante, confortavel onde nada lhe faltava, bastava pensar e seus desejos se tornavam reais. Mas nao era plena.

Ela tinha um diário e nele escrevia seus pensamentos, os mais ordinários, os mais vulgares e sujos.Sentia prazer e necessidade em tornar palavras concretas, desejos que lhe possuiam a alma. Imaginava-se ora nua num quarto de hotel barato ,os lábios vermelhos com um batom vagabundo, os olhos negros ,pesados e servindo a homens que nunca vira e nem os encontraria de novo. Homens marcados, suados, trabalhadores que se perdiam num prazer arrematado por qualquer dinheiro num fim de noite. Aliviavam seus instintos de macho com sofreguidão e jamais se despediam ou trocavam algumas palavras. Mas isso a possuía e imaginava-se saindo cansada pela manhã, os olhos vermelhos de sono, o corpo leve e exaurido porque pouco importava os prazeres dos homens com quem deitava, mas o seu, sabia intenso.

Ora pensava-se deitava, languida, aguardando em lingeries finas um amante viril. Que ansiava por lhe encontrar, que impaciente a tomava com devassidão mas jamais deixava de beijar-lhe e dizer que era a mulher de sua vida. Escrevia sobre ele como se existisse. Tudo se tornava real naquelas palavras sobre o papel e seu corpo acreditava nelas a ponto de sentir-se violentada até um gozo extremo sem controle ou limite.

Ao fim de cada historia inventada, ela fechava o caderno, fumava um cigarro e entregava-se inteira e plena a um novo gozo real e libertino que abria a porta de sua gaiola dourada mas que ela teimava em nao abandonar.

 

{anammk}_MA

Pensamento

November 23, 2008

 

 

fleurs2

ah,  eu  tenho   pensado  tanto  em   voce

com   saudade   e  com   ansiedade

não  me  interessa  nada  que  ficou  para  trás

talvez  o   que  esta  por   vir

o   devir

pode   ser   bom

pode  ser   morno

nao   sei

nem   voce   sabe

mas , sabemos   de  muitas  coisas

já.

Não  quero   ser  piegas

nao  quero   ser  romantica

nao  quero   ser  realista

so   quero  ser  

e  poder  te  mandar  uma   flor

sem   que  nem  por   que.

Nas àguas

November 13, 2008

praia_ao_luar

 

 

O Boto veio do centro da terra

e seguindo o fluxo das veias

chegou aquele beiral de rio

no meio do mundo.

A Iara veio do mar

deixando-se levar num oceano de nuvens

chegou aquele beiral de rio,

no meio do mundo.

 

Dois seres encantados,

 na beira do maior dos rios.

Sob o céu do norte,

sob estrelas pouco vistas

sob uma lua cheia de mistérios

dos seres das águas dos rios.

 

 

Dois sedutores se fitavam

se envolviam em historias

e em suas lendas e mistérios.

Lançavam encantamentos

provocavam com seus cantos

se atraíam pro fundo do olhar

 

No meio do rio

do meio do mundo

no meio das aguas

num trapiche deserto

os encantados se renderam

aos seus feitiços e desejos

e à magia das águas e da lua

das estrelas e dos peixes

 

 

E o Boto e a Iara

mergulharam naquelas aguas

e fundiram seus encantos

uniram seus perfumes,

encontraram suas aguas

se perderam no mistério

viveram suas sinas.

 

 

Nem metade homem, metade peixe

nem metade mulher, metade peixe

só um homem e uma mulher

se deitaram na beira do rio

do maior dos rios

no meio do mundo

numa noite equatorial.

 

{anammk}_MA

Paz

November 7, 2008

  earthflower

Eu  quero  estar  em  paz  comigo,  contigo,  convosco,  consigo.  Ah,  eu  consigo  !

Hoje

November 6, 2008

 

 

pearlspearlsxb01

Eu   quero  perolas,  muitas  pérolas.

marcas de mim no  corpo

Para  me   vestir   como uma   mulher

de um  conto,   de  uma  poesia, 

de um  romance,   de  um   filme

que  sente   tudo

no   feminino

com   a intensidade  que 

só  os  (as)  sao   capazes. 

{anammk}_MA