Nas àguas

praia_ao_luar

 

 

O Boto veio do centro da terra

e seguindo o fluxo das veias

chegou aquele beiral de rio

no meio do mundo.

A Iara veio do mar

deixando-se levar num oceano de nuvens

chegou aquele beiral de rio,

no meio do mundo.

 

Dois seres encantados,

 na beira do maior dos rios.

Sob o céu do norte,

sob estrelas pouco vistas

sob uma lua cheia de mistérios

dos seres das águas dos rios.

 

 

Dois sedutores se fitavam

se envolviam em historias

e em suas lendas e mistérios.

Lançavam encantamentos

provocavam com seus cantos

se atraíam pro fundo do olhar

 

No meio do rio

do meio do mundo

no meio das aguas

num trapiche deserto

os encantados se renderam

aos seus feitiços e desejos

e à magia das águas e da lua

das estrelas e dos peixes

 

 

E o Boto e a Iara

mergulharam naquelas aguas

e fundiram seus encantos

uniram seus perfumes,

encontraram suas aguas

se perderam no mistério

viveram suas sinas.

 

 

Nem metade homem, metade peixe

nem metade mulher, metade peixe

só um homem e uma mulher

se deitaram na beira do rio

do maior dos rios

no meio do mundo

numa noite equatorial.

 

{anammk}_MA

One Response to “Nas àguas”

  1. {desirre}_DM Says:

    Nossa, que poético… A noite equatorial deve ter ficado bem mais quente…
    Bjs.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: