BDSM e o Pequeno Príncipe

Ola, relendo o Pequeno Princípe pensei isso ai.É..reli o Pequeno Príncipe rs

(…)E foi então que apareceu a raposa:

  • Bom Dia – disse a raposa

  • Bom dia – respondeu educadamente o pequeno príncipe que, olhando a sua volta, nada viu. (…)

  • Vem brincar comigo – propôs ele – Estou tão triste….

  • – eu não posso brincar contigo – disse a raposa- Não me cativaram ainda.

  • – Ah ! Desculpa – disse o principezinho

  • Mas, após refletir, acrescentou:

  • – Que quer dizer “cativar”?

  • – Tu não és daqui – disse a raposa – Que procuras?

  • – Procuro os homens – disse o pequeno príncipe – Que quer dizer “cativar” ?

  • – Os homens – disse a raposa – têm fuzis e caçam. É assustador ! Criam galinhas também. É a única coisa que fazem de interessante. Tu procuras galinhas?

  • – Não – disse o príncipe – eu procuro amigos. Que quer dizer “cativar”?

  • – É algo quase sempre esquecido – disse a raposa – Significa “criar laços”…

  • – Crias laços…

  • – Exatamente – disse a raposa – Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu também não tens necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo…..

  • – Começo a compreender – disse o pequeno príncipe – Existe uma flor…eu creio que ela me cativou …
  • – É possível – disse a raposa – Vê-se tanta coisa na Terra….
  • (….)
  • Mas a raposa retomou o raciocínio.
  • – Minha vida é monótona. Eu caço as galinhas e os homens me caçam. Todas as galinhas se parecem e todos os homens também. E isso me incomoda um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros passos me fazem entrar debaixo da terra. Os teus me chamarão para fora da toca, como se fosse música. E depois, olha! Vês, lá longe, os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim não vale nada. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelos dourados. Então será maravilhoso quando me tiveres cativado. O trigo, que é dourado, fará com que eu me lembre de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo….
  • A raposa calou-se e observou por muito tempo o príncipe.
  • – Por favor…cativa-me! Disse ela.
  • – Eu até gostaria – disse o principezinho – mas não tenho muito tempo. Tenho amigos a descobrir e muitas coisas a conhecer.
  • – A gente só conhece bem as coisa que cativou… – disse a raposa – Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo já pronto nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me !
  • – O que é preciso fazer? Perguntou o pequeno príncipe
  • – É preciso ser paciente – respondeu a raposa – Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva. Te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada… A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas, cada dia sentarás um pouco mais perto…
  • No dia seguinte o príncipe voltou.

  • – Teria sido melhor se voltasse à mesma hora – disse a raposa – se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três começarei a ser feliz! Quanto mais a hora for chegando, mais me sentirei feliz. Às quatro horas, então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade!

  • Mas se tu vens a qualquer momento, nunca saberei a hora de preparar meu coração…É preciso que haja um ritual.

  • – Que é um ritual? Perguntou o princepezinho?

  • – É uma coisa muito esquecida também – disse a raposa. É o que faz com que um dia seja diferente dos outros dias; uma hora das outras horas.”

( Saint-Exupéry, Antoine de, O  pequeno príncipe. Rio de Janeiro : Agir,2006 pp.67-70 )
 
apontamentos sobre a raposa e o pequeno príncipe

O  Pequeno Príncipe dispensa apresentações mas relendo, selecionei a parte da raposa onde ela fala o que é cativar. E pensando nesse nosso meteoro aqui( tb com vulcões ) , cativar é um conceito e uma ação importantíssimos. Cismei um pouco com essa idéia de relação de coisas que só existem por que exercem uma ação sobre outras. Dominadores só o são porque dominam e submissas, porque se submetem. Mas tudo é à alguem. Domina-se alguem, submete-se à alguem, são ações que não se realizam sós. E para que se realizem o primeiro passo está nas palavras da raposa ao pequeno princípe: “cativa-me ! ” É criar laços e laços que prendem, construidos lentamente eles tomam forma, se apertam, se estreitam e somente cativando ( tb usando no sentido de manter cativo, preso ) alguem é possivel dominar ou se submeter.

Dominar é uma arte e se submeter também. Mas como os homens mencionados pela raposa, parece que muitos esqueceram esse primeiro passo e a necessidade dos rituais.

Quantas vezes não somos cativadas, por que caçamos e somos caçadas mas como galinhas e raposas, todos iguais. Nao ha loja de amigos muito menos de Dominadores ou submissas, é preciso cativar. E , por que esquecemos e preferimos tentar as lojas, as vezes, nada acontece. Não se cativa  por que telefonemas de celulares custam caros, por que não se tem tempo para escrever um email, por que não nos encontramos no msn embora possamos estar a  poucos km de distância. Cativar demanda tempo, esforço e para se deixar cativar é preciso ter vontade, desejo e deixar que cada aproximação seja única e ao mesmo tempo mais próxima, até que o rumor dos passos sejam diferentes, que os campos de trigo façam sentido e que as horas não sejam iguais.

8 Responses to “BDSM e o Pequeno Príncipe”

  1. pênya Says:

    poxa-Q lindo
    ameiiii D+

  2. anammk Says:

    Fico feliz em saber rsrsrs
    beijos, moça

    lírios

  3. cristianosvieira Says:

    Ana (refrão de bolero),

    Perfeito, foi muito bom ler isso, muito gostoso! Agora minha curiosidade despertou para ler o pequeno príncipe!

    Tenho dito!

    ————————————————————————————–
    Cristiano Vieira
    http://www.cafecomamigos.com.br

  4. jade Says:

    Querida Ana.
    Que ótima lembrança!!
    E depois de tantos comentários pertinentes sobre o “Dominar-cativar”, chamo atenção para a parte final do diálogo transcrito, confessando
    meu anacronismo: sim, eu adoro a ritualística..rs*
    Beijos e Linda Quinta!

  5. anammk Says:

    E quem nao gosta, Jade maria….quem nao gosta ?

    bjs

  6. Cristiano Vieira Says:

    Jamais me esquecerei desse livro, que li devido a este blog. Realmente é um texto magnífico, a ponto de me fazer querer me amarrar em um cometa e sair por aí.

    Como dizia Raul Seixas: Eei seu moço do disco voador me leva com você pra onde você for, eei seu moço, mas não me deixe aqui enquanto eu sei que tem tanta estrela por aí.

    Tenho dito!

    PS.: Gostaria que você publicasse este post no Café com Amigos, agora que o sistema é wordpress.

    Quando puder a gente se fala no msn!

  7. Cristiano Vieira Says:

    Nem pedi, mas postei esse texto no meu blog!
    Meu blog não tem nada a ver com BDSM, mas tudo bem!

  8. Irlan Farias Says:

    Belíssimo recorte, suave leitura como tu deves ser.

    irlanfarias@hotmail.com (MSN)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: