Boa Leitura:Mais Mestre Borg

Mais uma pérola de Mestre Borg.
“Buenas,
 
 
              Quando Eu era criança, no quarto de dormir de minha tia havia uma prateleira de livros. E entre livros de matemática e física (ela é professora), havia um que estava sempre mais à mão e não foram poucas as vezes que Eu a peguei folheando. Tinha na capa um garoto desenhado sobre um pequeno planeta com muito colorido, como se tivesse sido desenhado por uma criança, o livro era O Pequeno Principe.
 
              Com o passar do tempo, aprendi a gostar também do autor daquele livro tão singelo e profundo, e Saint-Exupéry se tornou um amigo próximo, tanto quanto sua leitura o apresentasse.  E por diversas vezes, vislumbrei o mundo em que ele havia vivido, com seus temores e perturbações. Com uma Guerra eminente e o ódio entre as pessoas a crescer alimentado pela ignorância, pre-conceitos e discriminação.
 
              Em meu tempo, percebo que não mudou muita coisa neste sentido. É dificil e lamentável a percepção da ignorância das pessoas, frente ao quão pequenos somos diante da grandeza do que nos é ofertado, aqui mesmo neste mundo. Podemos viver bem e tranquilos, podemos compartilhar bons momentos com quem desejarmos. E podemos fazer isso quando e como o quisermos. Há um mundo de beleza extraordinária a ser experimentado. Assim mesmo… Juntos !
 
              E me decepciona ver o quanto se agarram a si mesmos esses pobres homens. São dedos apontados para quem nunca fez nada, e outros tantos pondo defeito em quem faz algo. São ofensas trocadas por supostas opiniões “impessoais”. São “irmãs” de coleira que se digladiam pelo que nunca terão. São erros de ortografia tomados como insultos descabidos. São explicações e desculpas sabe-se lá porquê.  São fotos em perspectivas especialmente anguladas, que retratam apenas o próprio ego. São opiniões equivocadas em rápidas sentenças, porque ter alguma opinião é admirável, mesmo que não se saiba o que diz. São história de morte inventadas. São ameaças. São comemorações sobre o infortúnio alheio. São regras de ouro que só valem para os que não são amigos. E uma eterna amnésia sobre seus próprios tropeços e o de quem mais convenha.
 
              O mundo dos homens é insanidade.
 
               Compreendo muito bem  meu velho amigo, em seu mundo, com sua rosa e alguns amigos que por ali passam de vez em quando. Há muitos desses pequenos planetas por aí.
 
               Chegar a piloto foi sonho realizado graças à ajuda de muitos. E voar no correio aéreo, foi descobrir o mundo. Um mundo maravilhoso que se ilumina todos os dias, e que à noite se enche de estrelas. Como se de dia nosso mundo brilhasse para os demais, e à noite os demais brilhassem como estrelas para nos mostrar que não estamos sós.  O nascer do Sol, o vento por vezes frio, as cores e os campos , as montanhas e oceanos. Um mundo maravilhoso que o homem tem a oportunidade de habitar.
 
                 E era assim, a se maravilhar com o mundo visto dos céus, e a ser fustigado pelas demências dos homens em terra, que este velho amigo passou sua vida a contar a história do via e vivia. E torcia para que suas palavras ajudassem a tornar os homens mais dignos da Terra que habitam.
  
                  Me contaram há muito tempo que Saint-Exupéry morreu num vôo que nunca chegou ao destino. Em 1998, o pescador Jean Claude Bianco encontrou uma pulseria com a inscrição “Saint-Ex” na região frente à Marselha, a leste da ilha Riou. Em 2000, um mergulhador viu uma aeronave no fundo do mar. Em abril de 2004, o Comandante das Forças Armadas da França confirmou que aqueles eram os restos do avião que Saint-Exupery pilotava em 31/07/1941, quando foi dado como desaparecido. Disseram que provavelmente houve uma falha nos tanques de oxigênio a grande altitude, e que ele perdeu a consciência.
 
                    Deve ter sido linda a partida de Saint-Exupéry. Ele estava no céu, acompanhado pelas estrelas, acima das nuvens e dos homens. E posso vê-lo erguendo-se em vôo eterno, que só Ele poderia decolar.
 
                    E em noites estreladas, se vocês prestarem bem atenção, poderão ouvir o som da risada de um garoto, maravilhando-se entre as estrelas…
 
 
Abraços,
 MESTRE BORG”
postado em 27/09/07 no grupo Nação BDSM.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: