Archive for the ‘fetiches’ Category

O Dono do Sonho

July 24, 2010

 

Ele  tinha um  sonho, lindo  e  perfeito  como  os  sonhos  devem  ser. Acostumara-se  a ele, o  alimentara, cuidara, acalentara  durante  anos, era  seu, só  seu  sonho. O mais  bonito e  desejado  dos  sonhos. Ele  e  seu  sonho  atravessaram  o  tempo  numa  muda  companhia,  eram  parceiros nas  noites  escuras diante  do  mar.  Se  olhavam  em  silêncio, cúmplices, solidários nas  tempestades, caminhavam  juntos.

Ele  tinha  um  sonho que  o  fazia  menos  sozinho, que  o  tinha  mais  feliz, que  lhe  apontava  novos  dias  e  noites  eternas . Seu  sonho  trazia  pela  mão uma  mulher  linda,  de  olhar  dócil  e  sorriso  suave. Se  parecia com  a  moça  da  foto, a  de  cabelos longos  e olhar  de  amêndoas.

A  companhia  do  sonho foi  tornando-se  tediosa, cansativa,  aquele  vulto que o  acompanhava precisava  se  desgarrar,  ter  vida  própria. Caminhar  por  si.  Este  companheiro  calado  já o  incomodava, queria  conversas, risadas ,  choros, trocas.

Uma  noite  ele  olhava  o  mar, bebiam juntos, fumavam o mesmo  cigarro,ele  e  seu sonho. O  já  velho  ex  amigo, o  sonho, observava  calado, talvez  com  um olhar  de  ironia que  parecia  dizer:  Você  vai me  deixar  aqui  para  sempre?  Não, ele pensou. Era  hora  do  velho  sonho  ganhar  o  mundo, procurar sua  forma, ter  nome, idade, cheiro, pele.

Caminharam  juntos  até o  mar  e  num  golpe,  atirou  o  velho  sonho  às  ondas. Ele  seguiria mar  adentro, mergulharia, conheceria muitas  praias, ilhas, costões e  voltaria, novo, limpo, fresco de  vida.

A  cada  manhã, ele  corria à praia, apertava os  olhos e  procurava. Nenhum  sinal. Seu  amigo  ainda  não  voltara. Sentia  uma ponta  de  saudade  ao mesmo  tempo em  que  sentia a  esperança  lhe  preencher  os  dias de uma  forma  tão intensa  que  até doía.

 Um  dia ele  recebeu  uma  carta feminina que  dizia: “Tenho  seu  sonho. Agora  também é  meu.” Ele  mal  compreendeu as  palavras, sentiu-se  roubado, invadido,  traído por  seu  próprio  sonho  que o  abandonara e  juntara-se , mansamente,  a  outra  companhia. Escreveu  no  verso, uma  resposta:

“Devolva! Este  sonho é  meu !”.

 

 

 

 

 

ana.mmk

Escorregadia

July 23, 2010

 

Ele vinha toda noite com jeito de homem-menino-homem, como não ver?
Como não oferecer o jeito de mulher-menina-mulher?
Como?

A voz da Billie escorria pelo quarto, a luz escorria pelas paredes, o cigarro me escorria pelos dedos e eu me escorria na  moldura.

Saudades do Harem

April 27, 2010

Tenho saudades do harém

De Bizâncio em Jerusalém

Maldita era cristã

Que me  roubou a  moça nativa

As mulheres em meus altares

Eu vi tantos dessas Berber

Seus sorrisos velados

Através dos  véus  desenhados

Para  agradar, agradar, agradar

Seus olhos, chicoteados cães  fiéis

Esperando um   olhar de macho

Que acolhe sua barriga quente

Como um movimento  de yo-yo

Suas pulseiras, correntes são

Seus colares, são cabrestos

Que cercam o bonito  pescoço

Para abafar seus gritos de ódio

Escuta o chicote, longo assobio

De joelhos a dizer-me obrigado

Prostrada! Sim ! Sim !

Envia o seu olhar insolente

E libera seu indolente  sexo

Para a minha vontade de ferro!

(Tenho saudades do harém)

E eu vou colocá-la na areia

Alma e corpo até a perdida noite

Para pôr fim ao meu tédio

Para te ter submissa

 

Serge Lama

 

Presa

March 26, 2010

 

 

presasuapresanapressanapressão(re)presasuapresanapressasurpresa(surper)presa

 

ana.mmk_foton_Alq

 

                                                                      

Líquida

January 7, 2010

 

Eu  gosto  do  rodopio
do  ar  frio
da  fogueira  viva
que  eu me  torno
quãndo  me  entrego
aos  sabores  amargos
aos  perfumes  baratos
aos  tons  rubros
da  rosa  que me  desabrocha
Bebo  tanto  do  teu  cálice
que  me  embriago
e  me faço líquida
cada  vez  que tua  espada 
me  rasga  as  entranhas
me  traz  coisas  estranhas
me  faz  sua
sem  querer.
  
ana.mmk

Sádico?

June 18, 2008
Chicotes que rasgam a carne
algemas que aprisionam
lâminas que retalham
chamas que ardem
 teu sadismo nao me assusta
me amedronto a mim mesma
 a dor é solidária
os desafios são meus
 a permissividade é minha
como a dor tambem
 o olhar de um sadico chama
 mas sou eu que me arrebato.

 

ana.mmk

Reestréia

June 9, 2008

Recuperei a senha…ufa !

Bom,  minha apresentação anterior já passou….

A fila anda, o mundo roda, um dia vem depois do outro, depois do outono vem o inverno, depois  a primavera…e por ai e  eu tambem.

Não mudei, mas o  que esta em volto mudou  um pouco.

Mais  vivida, mais clarezas e menos certezas. Nada mais instigante do que nao ter certezas na vida, nem fórmulas, nem  padrões, só ser o que se é e seja lá o que for.

Esse blog  nasceu faz um tempinho, morreu e ressuscitou das cinzas, qual fênix. E graças a insistência de uma amiga.

Ele nao tem muita direção por enquanto, é um olhar somente, o meu olhar e de meus amigos, por que não pensem , os amigos, que vou estar aqui sozinha, ao menos a seção ” Eles falam…” vai ter . Nada como trabalho em equipe mesmo que a equipe nao saiba.

Mas  olhando ali pelo meu telescópio, o foco está no  BDSM e no que esse planetinha tem de bom , me diz de gostoso, me faz sentir  prazer , me faz trangredir, me sentir plena  e me inquieta e  acolhe a alma. hum…

Não  tenho muita intimidade com  as palavras, nao escrevo poesias, nao escrevo  contos, nem esaios, só mesmo minhas observações e sentimentos.

Agradeço a paciência de quem o ler mas ele é meu caderninho de campo, caixinha de  memórias, album de figurinhas, coleção de borboletas, canastra  da Emília …ih..fui longe.

 Bom dia,então.

Ver, sentir e estar no mundo

October 22, 2007

cabelos-ao-vento1.jpg

Olá.

Esse espaço é reservado. Mas pode ser visto através de  lentes especiais que nao julguem  só direcionem o olhar.

Estou no mundo e faço parte dele por que vivo nele, o vejo e o sinto. Minha maneira de viver nesse cantinho do mundo é especial.  É intensa, é forte, é ávida, é apressada.  É ver, sentir e descobrir. Me descobri muitas coisas nos ultimos tempos. Além da mulher que sempre fui, feminina, inteligente, ousada, fraca e forte, medrosa e corajosa, me descobri mais minha, sentindo mais o que quero e o que nao quero.

Fases experimentalistas, sensitivas, atentas me ajudaram a enxergar que sou hedonista por princípio, submissa por desejo, fetichista por prazer.

Hoje estou submissa à Alguém que soube me ver , me sentir e estar comigo. Não me viu como um objeto qualquer em uma prateleira, não me escolheu pelo padrão, mas pelo que tenho de meu, por minhas especificações e pelo codigo de barras único.

Não quero me encaixar em padrões, não quero ser o que nao sou, me tranfigurar em algo para agradar ninguem, agrado a mim antes de tudo e daí  vêm bas experiências, trocas, relacionamentos e convívios.

Sou isso e estou no mundo para ve-lo e senti-lo da melhor forma que consigo. Certa ou errada nao importa muito, importa que faço comigo e de mim o que acredito ser o melhor.

Bom, espero ter tempo para alimentar meu blog, colocar coisas que me tocam, que me pareçam interessantes, que me permitam linkar com  um universo mais amplo, mas do meu cantinho, do olhar limitado de meu telescópio vejo uma parte do universo e vejo que sou parte dele.